Carta sobre aborto é ‘documento oficial’, diz diocese de Guarulhos

Bispo de Guarulhos,Dom Luiz Gonzaga Bergonzini.

Conteúdo da carta foi aprovado pela CNBB-Regional Sul-1.
Diocese da cidade pediu a revogação de liminar que apreendeu material.

A diocese de Guarulhos garantiu, em entrevista coletiva neste sábado (23), que o conteúdo do material impresso em gráfica no bairro do Cambuci, em São Paulo, pedindo que fiéis não votem na candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, é verdadeiro e documento oficial da Igreja, reconhecido pela regional Sul-1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O material impresso traz mensagem contrária ao aborto e foi distribuído pelo bispo de Guarulhos, Dom Luiz Gonzaga Bergonzini.

O bispo ganhou notoriedade nestas eleições ao pedir aos fieis que não votem em Dilma Rousseff. Nesta quinta-feira (21), ele recebeu apoio da CNBB. Dom Geraldo Lyrio Rocha, presidente da entidade, afirmou que a ação do bispo de Guarulhos está “dentro da normalidade”.

Segundo a diocese de Guarulhos, o texto do material impresso foi elaborado durante assembleia geral da Regional Sul-1, realizada em 03 de julho, que contou com a presença de 57 pessoas, entre bispos e leigos. Entre os presentes, estavam o bispo Dom Nelson Westrupp, um dos que assinam a carta “Apelo a todos os brasileiros e brasileiras”, que contém a recomendação para evitar o voto na candidata do PT à presidência nacional.

“São 45 dias para sair este documento, não tem como ser apócrifo”, afirmou João Carlos Biagini, advogado da diocese e um dos que assinam o pedido de revogação da liminar obtida pela candidatura de Dilma Rousseff, que permitiu à Polícia Federal apreender o material impresso na gráfica Pana, na zona sul da capital paulista.

Segundo o texto do pedido de revogação da liminar, a própria CNBB-Regional Sul-1 contratou a impressão de 100 milheiros, no formato A-4, na empresa Artes Gráficas Prática Ltda-ME. O serviço de impressão, no formato de panfleto, foi feito na gráfica Pana em função do “preço e capacidade para executar o serviço”. A diocese ainda destacou que o mesmo local já fora utilizado pelo PT.

Ao todo, foram 2,1 milhões de panfletos impressos. A decisão pela apreensão foi baseada na falsidade do documento e na suposta existência de crime eleitoral e foi feita pelo ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves da Silva. “[A decisão] é uma violência à Igreja, a mim e à gráfica”, disse Dom Luiz Gonzaga Bergonzini. Ele também afirmou que continuará a lutar contra medidas pró-aborto, mesmo no caso de Dilma ser eleita.

Bergonzini negou apoio a qualquer candidato, mas disse que tem o direito de desaconselhar o voto a quem defenda o aborto. “Não acredito em partido político algum. Sou político, mas não sou partidário”, afirmou o bispo. “O PT aceita o aborto até o 9º mês de gravidez. Tenho o direito como cidadão e o dever como bispo de alertar contra isso.”

A diocese de Guarulhos conta com uma população de 1,3 milhão de habitantes, ficando atrás apenas de bairros da capital como São Miguel Paulista, com 2,5 milhões de pessoas.

Fonte: G1 – Globo

DOM BENI REAFIRMA SUA POSIÇÃO E DIZ QUE DOCUMENTO É LEGÍTIMO E DEVE SER AMPLAMENTE DISTRIBUÍDO

ATENÇÃO SENHORES BISPOS, PADRES E LEIGOS DE NOSSA IGREJA QUE CONTINUAM CALADOS DIANTE DESSA PRESSÃO DA DITADURA DO PT, CUIDAI PARA QUE ESSA PALAVRA NÃO CAI SOBRE VÓS:

“Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena”. (Mt 10,28)

Temei a Deus e não a homens, pois eles nada podem fazer além de matar o corpo… Antes temei a Deus para que você mesmo não seja o assassino de sua alma, condenando-a ao inferno por uma postura de omissão. Deixar de fazer um bem já é um mal!